TI no Québec

Quando comecei com a idéia de imigrar para o Québec uma grande preocupação era encontrar emprego. Claro, trabalhando com TI eu não tinha muita pretensão em mudar de profissão salvo se tudo desse errado nessa área. Com esse objetivo comecei a juntar várias informações sobre o mercado de trabalho, empresas da área e vagas, média salarial, etc. Mas quer saber? Isso só ajudou pra não cair de pára-quedas. A realidade a gente só conhece mesmo quando chega aqui. Vou tentar sintetizar um pouco o que enviei para algumas pessoas recentemente.

O mercado de TI por aqui é realmente aquecido. Tem vagas em tudo quanto é lugar para profissionais de todas as especialidade: Oracle, Java, .NET, COBOL/CICS, DB2, etc, e realmente eles estão com uma grande demanda de profissionais bons. Entenda “bons” como pessoas tecnicamente capacitadas e capazes de se comunicar, em francês e inglês também. Dependendo da função que você vá desempenhar eles podem pedir boa capacidade de comunicação escrita também (como é o caso de atividades que envolvam levantamento de requisitos, coordenação de equipes e afins).

Aqui em Québec o mercado é muito mais voltado para o governo, visto que aqui é a sede da província. A grande maioria das empresas daqui trabalham para esse meio, sendo praticamente inevitável trabalhar para algum ministério ou outro órgão ligado ao governo. Claro, isso não é uma unanimidade pois temos também empresas de jogos por aqui, como é o caso da Ubisoft que é muito forte na região também. Em Montréal o mercado é mais variado e diferenciado visto a influência inglesa ser mais presente, mas não se engane, o francês sempre é um grande diferencial na contratação.

Por falar no francês, isso é ponto importantíssimo aqui. Vejam só um trecho de um e-mail que recebi sobre isso:

Bonjour à tous, Le droit reconnu de travailler en français au Québec est protégé par les dispositions de la Charte portant sur la langue du travail et la francisation des entreprises. En effet, le chapitre sur la francisation des entreprises oblige toute entreprise qui emploie cinquante personnes ou plus au Québec à généraliser l’utilisation du français, y compris dans les technologies de l’information, article 141, 9o ). Les employeurs ont donc le devoir d’installer tout matériel ou logiciel en français aux postes de travail de leur personnel afin qu’il puisse y avoir accès normalement. (…)

Pour informations … http://www.olf.gouv.qc.ca

Ou seja, o negócio é sério. Tudo, desde código-fonte até comentários, nome de variáveis, classes, objetos, chegam a ser escritos em francês. Nem sempre isso é uma unanimidade, vai depender de onde você trabalha, mas é bom estar pronto para esse tipo de situação.

Bom, A média salarial para analista de sistemas sênior gira em torno de 65 $mil/ano, mas pode variar para menos ou para mais dependendo da empresa onde você vá. Lembre-se: isso é uma média. Existem casos onde as pessoas realmente ganham mais, mas isso depende muito da empresa onde você vá, a necessidade deles em relação a você, sua capacidade técnica e pessoal de negociação contam bastante.

A parte fiscal é dura como dizem. Os governos fica com uma boa mordida do seu salário mas isso é compensado pelos valor do custo de vida como um todo, que fica bem abaixo do que temos no Bresil. Além disso, as empresas tem como política sempre agregar adicionais aos funcionários, tais como planos odontológicos, bônus, planos médicos suplementares, seguros de vida, planos de descontos, etc.

De um modo geral, toda a província tem grandes necessidades de profissionais de TI, mas os principais locais que consegui identificar até hoje são Québec, Montréal e Bromond, uma cidade a mi-caminho de Montréal e Sherbrooke onde existe uma grande fábrica de software da IBM, muito parecida com o modelo adotado em Hortolândia, SP. Nessa cidade existem demandas altíssimas de profissionais, logo, a demanda salarial deve estar alta também.

Falando sobre tecnologia, Microsoft é muito adotado no governo, principalmente .NET, mas isso pode variar. Java também tem uma boa demanda, bem como banco de dados Oracle. Dê uma olhada no site do http://emploiquebec.net e pesquise as vagas mais recentes. Você vai ver como tem demanda por gente de TI, principalmente analistas.

Tem mercado para Linux também, mas fica nas entre-linhas. Encontrei poucas vagas em sites de curriculo e algumas deles são para desenvolvimento com software livre mesmo. Como eu disse no ultimo e-mail, aqui em Québec utiliza-se bastante ferramentas da Microsoft, mas não é uma unanimidade. Contudo, se você quiser emprego rápido, é uma alternativa enquanto você procura algo dentro da área de Linux.

Só colocando um adendo. Tenho acompanhado as notícias sobre o impacto da crise econômica e vi que várias empresas do Vale do Silício tem demitido em massa, inclusive a própria Microsoft, além do Google, da Motorola, Nokia, HP, entra outras. Na verdade, a crise naquela região não é de hoje, mas com a queda de investimentos isso se agravou recentemente.

Mas, como vocês devem acompanhar também, isso é diferente também no Brasil, onde existem iniciativas de contratação de pessoal em massa na área de TI, como é o caso da LeNovo que decidiu montar uma fábrica pra montagem de computadores aí no país, entre outros exemplos. Isso também acontece aqui. O impacto na área de TI ainda não afetou o Canadá diretamente, e nem sei se isso vai acontecer com tanta força, mas é bom ficar antenado também.

Liste des parcs de recherche canadiens

  • Biomed Développement Parc Biomédical de Sherbrooke – Sherbrooke (Québec)
  • Cité de la biotechnologie agroalimentaire, vétérinaire – St-Hyacinthe (Québec)
  • Edmonton Research Park – Edmonton (Alberta)
  • Innovation Place – Saskatoon (Saskatchewan)
  • Innovacorp – Halifax (Nouvelle Écosse)
  • Institut de recherche et développement agroenvironnement (IRDA) – Québec (Québec)
  • Laval Technopole – Laval (Québec)
  • McMaster University and McMaster Innovation Park – Hamilton (Ontario)
  • Parc technologique du Québec métropolitain – Québec (Québec)
  • Science Enterprise Algoma – Sault Sainte-Marie (Ontario)
  • Technoparc Saint-Laurent, Montréal métropolitain – Saint-Laurent (Québec)
  • Technopôle Angus – Montréal (Québec)
  • Technopole Vallée du St-Maurice – Trois-Rivières (Québec)
  • The Knowledge park – Fredericton (Nouveau-Brunswick)
  • UW Research & Technology Park – Waterloo (Ontario)
  • Vancouver Island Technology Park – Vancouver (Colombie Britannique)
  • Varennes Développement – Varennes (Québec)

14 thoughts on “TI no Québec

  1. Opa Masaru,

    Muito obrigado pelo post! Tem bastante dicas importantes aí.

    Não sei se a Márcia comentou, mas trocamos alguns emails na semana passada… Eu havia deixado a imigração de lado porque estava empenhado no processo federal, mas o gov. limitou a entrada p/ apenas 38 profissões. TI só gerente agora.

    Mas depois dos emails com a Márcia me animei p/ ir pro Québec! Estou levantando todos custos e começando o planejamento.

    Abraços!

  2. Bem, meu marido começa agora o curso de Tecnologia de analise e desenvolvimento de sistema, tentaremos a imigração quando o curso dele terminar. Ele é professor de inglês a 7 anos, faremos francês nesse tempo e se Deus quiser, o mercado continuara precisando de analistas até chegar a nossa hora.

  3. Janaine,

    Dediquem seu tempo no máximo que puderem em aprender a falar francês, especialmente se tiverem como intenção morar no Québec mesmo. O idioma ajuda e muito, principalmente na procura de emprego e em tudo o mais. Acredite: quanto melhor você falar francês mais fácil vai ser a adaptação de vocês.

  4. Janaine says:

    Masaru

    Obrigada por responder. Eu pensei em começar o Francês agora em agosto. Meu marido, vai ficar cheio a proncipio e não podera começar agora(trabalho e faculdade), não sei se é valido ele ficar fazendo cursos de ferias, e continuar o intensivo comigo em casa. E no ultimo semestre fazer um curso (nós dois) para arrematar as arestas.

  5. Jana, na real, estude. Não importa se você vai estudar sozinha ou com seu marido, mas estude e estude pra valer. Se você não tiver como estudar junto com seu marido (eu sei que é complicado estudar, trabalhar e fazer aula de idioma) comece você.

    É legal estudar juntos mas não fique dependendo dele pra fazer as coisas. Lembre-se que chegando aqui cada um vai ter uma vida, vai ter que estudar e trabalhar sozinho e raramente você vai poder contar com ele do seu lado pra responder te ajudar a se expressar.

    Ah sim. Sobre ele ficar carregado, é um fato, mas se ele quiser mesmo vir, é um preço que a gente paga. Coloque bem na bandeja o que você pensa conseguir imigrando e compare com aquilo que vai deixar pra trás. Isso talvez te dê uma razão a mais pra se continuar se esforçando. É duro, mas só depende da gente no final.

  6. Janaine says:

    Estamos completamente certo do fato de que “imigraremos”, estou entregando meu apartamento esse mês, para possamos pagar tudooooooooo, faculdade, curso de idioma, escola das meninas e outras contas, nesse período de preparação ficaremos na casa dos meus pais, estamos recebendo incentivo de todos, ainda são incentivo temerosos. Família tende a temer muito a distancia, mas sabem diferenciar o bom do ruim.
    Sobre o Frances, meu medo não era o fato de ter meu marido como companhia, eu pensei em começar pelo inglês que já que tenho um bom nível, e gostaria de chegar ao nível intermediário, o que não seria difícil, visto que tenho um professor vivendo comigo. Me disseram que não era bom misturar as aulas, que eu deveria me dedicar só a um idioma depois ao outro.
    Estou doida pra começar o France, me sentiria mais próximo do dia…
    Meu marido, isso é uma coisa que ainda trabalharei, ele vai fazer faculdade pela manhã, trabalha a tarde e 1 vez na semana trabalha a noite. Não trabalha nas sextas, mas trabalha nos sábados pela manhã. Bem… onde quero chegar, tentarei empurrar ele nesse meio tempo numa turma na aliança Francesa. Eu farei no SENAC, visto que é mais barato e mais pesado, no SENAC as aulas são diárias e de 2 horas de duração, na aliança são 2 vezes na semana. Pretendo ao dar entrada no visto, que nós 2 já tenhamos o TCF.
    Sei que vai ser duro, Ainda tentaremos diminuir o tempo do curso, o curso tem 6 semestre, mas 2 disciplinas de inglês técnico, meu marido tem um certificado que o da um nível de inglês avançado, onde ele não precisa pagar nenhuma cadeira do idioma em faculdade alguma, dai pensamos em subir algumas cadeiras e, caso a faculdade trabalhe com cursos de férias, encurtar esse tempo. Se conseguíssemos diminuir de 3 anos para 2 e meio, já me deixaria incrivelmente feliz.
    Tenho medo de mudanças bruscas no processo, ou no mercado. Queria que o tempo voasse

    Novamente obrigada pela atenção.

    Jana

  7. Diogo Herculano says:

    Olá! Meu nome é Diogo e sou do Rio de janeiro.
    Como todos aqui, eu também tenho a pretensão de migrar para o canadá, especificamente na Ville de Québec , mas eu queria saber das condições de trabalho para profissionais formados na área de educação, sobretudo em Filosofia. Se puder ajudar serei grato.

  8. Charley says:

    Olá, estou vendo que seu post tem mais de um ano, mas trabalho com TI há 4 anos e gostaria de saber se há mercado no Quebec para a área de desenvolvimento para mainframes IBM (Cobol/Cics ou Cobol Batch). Se puder responder lhe ficaria muito grato. Abraço.

  9. Oi Charley.

    Olha, tô meio por fora do mercado de Mainframe, mas sei que a CGI e a DMR vira e mexe têm demanda de gente com essa especialidade. Recomendo que você se cadastre no site deles ou que fique atento nas vagas ofertadas. Fora isso, vou te ser honesto e não sei dizer como está. Talvez em Montréal as coisas sejam diferentes, mas vou ficar devendo essa informação agora.

  10. wellington soares says:

    Oi Masaru

    Sempre tive vontade de imigrar para o canada. Trabalho na area de TI a mais de 5 anos, tenho ingles fluente.
    Gostaria de saber se existe demanda para area de Analista de suporte.

  11. Ronaldo says:

    Ola, como vai?

    Vi que os posts já tem algum tempo mas não custa tentar tirar uma dúvida. Estudo PHP e banco de dados MYSQL, sabe informar algo sobre como anda o mercado aí com esses dois citados?

    Obrigado.

  12. Ola Ronaldo.

    Ultimamente existem muitas empresas de jogos apostando em sistemas voltados para redes sociais, a Ubisoft (onde trabalho) principalmente. Não vou dizer que PHP é a principal linguagem adotada por essas empresas (onde geralmente vigora .NET e Java) mas em geral, experiência em desenvolvimento de aplicações voltadas para Web é um metier desejável.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *