Leslie Nielsen

Leslie Nielsen

Leslie Nielsen

Eu sou um amante aficcionado por comédias pastelão, mas eu tenho comigo que existe um limite entre a forma como esses filmes são feitos. Clássicos como Larry e Hardy (O Gordo e o Magro), Chaplin e até dos irmãos Marx estão na minha lista de clássicos desse gênero que felizmente (?) nunca parou de ser feito. Eu lembro que morria de rir quando era pequeno quando assistia na Sessão da Tarde os filmes do Jerry Lewis e até do Terrency Hill e Bud Spencer? Lembra desses? Eram aquele cara loiro e o grandão barbudo que sempre resolvia as coisas na porrada. ehehehhe, era muito massa.

Nessa época conheci o Mel Brooks e A Louca Louca História de Robin Hood, A História do Mundo, Top Secret, Spaceballs, O Jovem Frankstein e mais uma porrada de seriados que ele fazia ponta. E claro, não dá pra esquecer do pessoal do Monty Python. Esses caras realmente me mostraram que existia comédia além de Hollywood e de excelente qualidade (apesar de muita gente não gostar de humor inglês, eu adoro a forma ácida como eles fazem isso).

No auge da juventude

No auge da juventude

Não tenho como disfarçar meu vício como cinéfilo. Eu assisto a filmes que realmente gosto várias e várias vezes e sempre consigo rir como se fosse a primeira vez que vejo a piada, e ainda mais quando se trata de comédias pastelão. É o caso de um filme dos anos 80 que assisti a primeira vez na televisão (no tempo que ainda tinha aquele aviso da censura antes dos filmes dizendo a classificação etária) chamado Apertem os Cintos – O Piloto Sumiu (Airplane), uma sátira aos filmes catástrofe envolvendo aviões. Um dos atores do filme era um senhor de cabelos brancos, com uma voz extremamente grave e cara de sério, que interpretava um médico dentro de um avião onde praticamente todos os passavam por uma intoxicação alimentar violenta. O ator era o tipo que eu admiro nesses tipos de filmes, alguém que tenta agir seriamente, sem fazer caras e bocas, mas onde tudo conspira pra dar errado de uma maneira cômica e trágica.

Cena do filme "The Forbidden Planet" com Nielsen tentando atuar seriamente

Cena do filme "The Forbidden Planet" com Nielsen tentando atuar seriamente

Ele, vim saber depois, era Leslie Nielsen, nascido na cidade de Regina, província de Sakatchewan, em 11 de fevereiro de 1926. Condecorado com a Ordem do Canadá, este cavalheiro nasceu longe de seguir carreira como comediante.

Sua mãe era galesa e seu sai dinamarquês, honrado oficial da Royal Canadian Mounted Police (a famosa polícia montada), função que garantiu ao ator a prodigiosa vida de morar nos lugares mais distantes e inóspitos do Canadá, tal como a região de Tulita, nos Territórios do Norte, lá depois de onde o vento faz a curva e o diabo perdeu o band-aid que usava no calo que formou depois que ele perdeu as botas. Depois de ir parar por lá por alguns anos devido ao pai ter sido transferido, ele resolveu ir morar num lugar menos distante (?!), em Edmonton, onde terminou o highschool. Após a escola, seu primeiro emprego foi como radialista numa rádio de Calgary, obviamente tirando proveito dessa voz de coveiro que ele tem.

ISSO é morar longe

ISSO é morar longe!!!

Buscando aperfeiçoar sua habilidade de locução, ele se mudou para Toronto e depois para New York para estudar rádio. Depois de estudar teatro e música acabou conseguindo fazer a primeira de muitas aparições na TV em 1948. Dali foi um papel atrás do outro, sempre seguindo a linha dramática, atuando como médico, advogado ou policial, em séries de rádio e TV. Além disso, atuou também em documentários e comerciais, novamente graças a essa voz de narrador de velório, até finalmente conseguir em 54 seu primeiro grande papel no filme O Planeta Proibido (dê uma olhada nas fotos do site! Se você não viu o filme, aproveite e veja! É realmente ótimo!), onde atuou como o comandante John J. Adams. Após o filme, que recebeu ótimas críticas pela atuação de Nielsen, sua carreira dramática continuo muito ativa nos anos seguintes, com participações em diversos filmes e seriados famosos, como M*A*S*H, Hawaii 5.0., ColumboAlfred Hitchcock Presents até que em 1980 ele foi chamado para representar o Dr. Rumack em Airplane!, seu primeiro papel verdadeiramente cômico.

Você fugiria desse vampiro?

Você fugiria desse vampiro?

A comédia

Seguindo a mesma fórmula de personagem sério em situações inusitadas, ele criou o detetive Frank Drebin para membro para a série de TV The Naked Gun. Mas não ficou por aí. Além dos três longas metragens criados a partir da série (The Naked Gun: From the Files of Police Squad!, The Nake Gun 2½: The Smell of Fear e Naked Gun 33⅓: The Final Insult) ele atuou em várias outras sátiras como A Repossuída, com Linda Blair atuando numa paródia do filme que a tornou famosa vomitando sopa de ervilha, Drácula: Morto mas Feliz (ele era o próprio senhor das trevas), Mr. Magoo (como o próprio personagem), Spy Hard (uma espécie de Missão Impossível  com Duro de Matar e outros filmes de espionagem), Todo Mundo em Pânico 3 e 4 e Superhero Movie, além de outros filmes do gênero que não chegaram a ser muito conhecidos no Brasil.

Aliás, fica meu protesto aqui. Parece que a grana tá ficando curta ou ele resolveu atingir marca de filmes comédia de qualquer jeito porque, esses dois últimos filmes só não ficaram pior que o Espartalhões

Ele também  fez várias participações em séries de TV como Scrubs e, claro, no Saturday Night Live. Pra minha surpresa encontrei ele fazendo até um vídeo da National Geographic, onde ele ficava falando sobre insetos e outras pragas que existem no quintal de casa. Ah sim, ele também é fanático por Golf, apesar de ser assumidamente um péssimo jogador. E foi exatamente por jogar ao mal que ele chegou a lançar uma série de vídeo que ensina a jogar melhor, mas acredite: é bizarro.

Fatos curiosos

  • Em “Airplane!“, ele participou de um diálogo clássico do cinema. Ele é perguntado: “Surely you can’t be serious?” e responde “I am serious. And don’t call me Shirley”, num trocadinho com a pronúncia de “Surely” e “Shirley”
  • Seu irmão foi vice-primeiro ministro do Canadá.
  • Ele chegou a se inscrever na força aérea para lutar durante a Segunda Grande Guerra, mas nunca chegou a ser mandado para o front.
  • Devido a um reconhecido problema de audição, Nielsen resolveu fundar o Better Hearing Institute, um instituto cujo objetivo é ajudar pessoas com problemas auditivos.

4 thoughts on “Leslie Nielsen

  1. André says:

    Excelente matéria. Também sou fanatico pelo Leslie Nielsen. Se puder, entre em contato comigo. Abraços.

  2. Pois é, André. Eu acho o cara muito bom mesmo. Já faz algum tempo que não vejo um filme dele. Acho que o último deve ter sido Todo mundo em Pânico … alguma coisa, mas ele fazia só um papel coadjuvante. Aliás, a última vez que eu o vi mesmo foi num comercial na televisão fazendo propaganda do curso de Golf dele, com o jeito cômico de sempre.

  3. André says:

    Existem muitos títulos em DVD ainda inéditos do Leslie aqui no Brasil. O que é uma pena, pois ele é um excelente ator. Além de comédias, Leslie já protagonizou vários outros sucessos como Planeta Proibido, já participou de séries importantes como Kojak, Kung Fu, Havai 5.0, Columbo e entre outros….

  4. Gabriel says:

    Excelente Matéria!
    Gosto muito do desempenho de Leslie nas comédias. Sou fã de carteirinha desse ator que nos faz dar muitas risadas.

    Parabéns pelo artigo.

    Além disso, ele participará de “Stan Helsing”, uma sátira de filmes de terror, que tem estréia prevista em outubro.

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *